FALIDO DE ESPÍRITO

“O meu quinhão na terra dos viventes”

Nizan Guanaes, um dos maiores empresários do país, disse uma vez que ninguém escreve livros sobre desolações e fracassos. De fato, os livros de auto-ajuda, que ensinam como ser vencedor, rico, conquistar, sãos os que encabeçam a lista dos mais vendidos.

Nas ultimas décadas no Brasil, o cristianismo neopetencostal tem vendido a idéia de que Deus está contigo se você externa a figura de vencedor, que tem uma grande carreira, um bom carro e está sempre conquistando. É claro, como esse reino da fantasia não é para todos, logo as pessoas frustradas abandonam a fé e perdem a oportunidade de conhecer um Deus que é além do que os homens acham que é.

Davi, depois que matou o gigante Golias e se tornou guerreiro famoso em Israel, se encontrou fugitivo numa caverna. Estava vindo de uma vida de fugas, mesmo depois de tantas vitórias. Ele então, esmorecido, na caverna fria, escreve um salmo que diz: “Quando dentro em mim me esmorece o espírito, tu conheces o meu caminho” Salmo 142:3.

Claro que Davi superou os momentos difíceis de sua vida. Mas percebe-se pelos seus textos que ele estava mais preocupado em ter sua vida firmada na rocha que era sua fé num Deus vivo, do que nos favores que essa fé poderia lhe proporcionar. Até porque o propósito de Deus é muito diferente do propósito do homem.

Jesus uma vez explicando quem receberia o reino que ele veio trazer na Terra, disse “Felizes os pobres de espírito, pois é deles o reino que vem dos céus”, Mateus 5:3.  Quando você está falido espiritualmente. Quando você acha que não consegue no seu relacionamento, no seu trabalho, na vida espiritual, no caminho que está traçando. Quando você está lá no fundo da caverna e acha que não consegue, está pronto pra receber a riqueza do reino que veio dos céus, que além de fazer com que um grande rei esteja sobre sua vida, todas as demais coisas serão acrescentadas. Está falido de espírito? Fique feliz, peça o reino de Deus, é só para pessoas como você. Falido.

Anúncios

A vida como sem…

A vida como sempre mudando de direção, mudando o ritimo, mudando TUDO.
Pessoas vem e vão. Pessoas boas e ruins. As vezes falta entendimento pra tantos acontecimentos.

Hoje eu me sinto feliz por algo que tambem está me deixando pirado (risos). É que eu estou de mudança para o Rio de Janeiro. Isso mesmo, cidade maravilhosa ai vou eu. A alegria de ter a oportunidade de ir viverr ao lado de um dos maiores mestre da dança que eu já conheci em toda minha vida Tadheo de Carvalho não tem preço, mas deixar familia, amigos para traz é angustiante.

Turma a contagem já é regressiva.

“Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu.”
(Eclesiastes 3:1)

A cada instante eu me aproximo de uma nova vida. Novida sempre assusta, isso é normal. Logo, logo isso passa. (espero, risos) Estou vivendo aqueles dias de rever tudo, lembrar dos momentos com a familia. Ahh minha familia, minha avó Conceição, eternamente grato por todo carinho e cuidado durante toda minha vida. Minha mãezona Maria que sempre moveu tudo ao seu alcance pra me fazer avançar. A elas a minha eterna gratidão. Só de pensar que ao acordar e não ter elas para pedir benção o coração aperta. Os amigos, ahh meus amigos de longa data. Como sempre digo: Poucos, bons e suficientes. Mesmo loge, amigos. Irão fazer muita falta. Sei que não estou indo morar em outro país (ainda) e que o Rio é uma cidade a uma hora de avião de BH, mas sair do ninho onde tudo está confortavel e quentinho não é fácil.

Como fui ensinado recorro a luz para meus pés, que é biblia e Deus como sempre bom. Consolação.  “Tempo de espalhar pedras, e tempo de ajuntar pedras; tempo de abraçar, e tempo de afastar-se de abraçar.” (Eclesiastes 3:5)

É tarde 4 da manhã e estou com sonooo. Hoje começa Confra Jovem… Minha ultima semana morando em BH, não posso perder essa oportunidade. Depois volto pra compartilhar mais por aqui…  Essa canção fala muito o que estou sentindo:

#Fuii

– Paulo Guerra

Quando tudo parece ruim

Se tivesse entrado 1milhao na minha conta hoje eu estaria mais feliz, não muito (um pouco mais), mas nem todo esse dinheiro mudaria quem eu sou ou como estou me sentindo. Tambem eu sei que o dinheiro só maximiza quem nós somos (então acho que não seria uma coisa muito legal… rs) e outra coisa, esse não é o FATO :/

Minha sinusite não melhora, meu estomago doi. Ontem eu estava com intoxicação alimentar. Estou doente!!!

Sabe quando tudo parece nublado, voce não sabe pra onde ta caminhando é exatamente assim que estou me sentindo! Fazia alguns anos que não me sentia assim. E pensei que essa sensação nem fosse voltar mais! Sera que estou vivendo uma crise pra entrar na fase adulta???rsrs Parece que estou carregando o mundo nas costas! :/ E sinceramente não está nada confortavel! HELP ME! Sei que não sou um ET,  a pessoa que esta vivendo isso sozinho no mundo… tem gente por ai que está muito, muito pior que eu, mas existe uma frase que eu não conheço o autor que diz: Só o dono da dor sabe o quanto dói! 😛

É ainda pior ter a infelicidade de encontrar com pessoas que pioram essas sensações. Nessas horas o que aparece de gente pra falar o que não deve kkkkk… é tenso! E quando não são as pessoas que estão mais proximas de nós! A vontade de sumir aumenta :/

A unica coisa que me vem a memoria de mais valor em tudo isso é: Tenho-vos dito isso, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo; eu venci o mundo.
— João 16:33

#DESABAFO

(Eu ia escrever no meu facebook, mas como estou sem paciencia não quero ser rude com ninguem. E outra coisa é que de tanto eu ler o que eu escrevi aqui pra ver se não tinha nenhuma besteira…estou mais aliviado! rsrsrs)

VOU VOLTAR A ESCREVER NO BLOG. Existe muito de mim aqui 😀

Abraços turma!

Paulo Guerra

Os números de 2011

Os duendes de estatísticas do WordPress.com prepararam um relatório para o ano de 2011 deste blog.

Aqui está um resumo:

Um bonde de São Francisco leva 60 pessoas. Este blog foi visitado cerca de 3.100 vezes em 2011. Se fosse um bonde, eram precisas 52 viagens para as transportar.

Clique aqui para ver o relatório completo

Pergunte-me como!

Voce que esta cansado de ficar em um escritório, ou sente-se desvalorizado em seu trabalho. Construa na nossa empresa uma carreria de sucesso, com reconhecimente e o melhor de tudo com estilo e qualidade de vida. Seja dono do seu proprio negocio, mostre ao mercado o quanto você vale. Pergunte-me como!

Agir de Deus

 

Quem disse “a história terminou”
A última palavra é a que vem do céu
Andaram comentando coisas sem saber
Até disseram: “Deus não é mais com você!”
Mentira

Deus sabe o tempo exato em que deve agir
Quando Deus falar todos vão ouvir
“Já entrei na batalha e vou decidir”

Teu milagre ninguém vai entender
O Impossível é Deus quem sabe fazer
Por você Ele é capaz de parar o mundo
Tudo isso em fração de segundos
Teu milagre todos vão contemplar
O evento que Deus vai preparar
Quem te viu não vai acreditar
No que Deus faz por te amar

Quem disse ?a história terminou”
Certamente não conhece do poder de Deus
Cala o inferno, abre os céus e move a terra
Se preciso, monta uma operação de guerra
Só pra dá vitória aos servo Seu
Deus sabe o tempo exato em que deve agir
Quando Deus falar todos vão ouvir
“Já entrei na batalha e vou decidir”

Estou ouvindo o barulho de Deus
Guerreando, batalhando pelos Seus
A palavra de ordem é vitória
Tome posse do que é teu
Vejo Deus caminhando na tua frente
Desatando grilhões, quebrando correntes
Vejo inimigo fugindo
A mão de Deus está agindo

Sobre deuses, pássaros e gaiolas

Ei pessoal do blog,

estou passando para compartilhar um texto que recebi da minha lider Isabel Coimbra. Compartilho esse texto para que vocês possam ser abençoados assim como eu fui. Deus abençoe!

Sobre deuses, pássaros e gaiolas
Ruben Alves.
Eu não tenho religião. Não vou a igrejas, não participo de rituais, não acredito nos seus dogmas. Preciso não ter religião para amar a Deus sem medo, com alegria e, principalmente, sem nada pedir. Não tenho religião porque não concordo com as coisas que elas dizem de Deus. Deus é um Grande Mistério. Está além das palavras. Diante do Grande Mistério a gente emudece. Fica em silêncio. Discordo a partir do pronome “ele”. Deus “ele”, masculino? Onde foi que aprenderam sobre o sexo de Deus? Deus tem sexo? Se tem sexo, por que não ela, Deus mulher? Como a mulher do Cântico dos Cânticos? A Igreja Católica não conhece a mulher. Conhece apenas a “mãe” que foi mãe sem ter sido mulher. Deus: por que não uma flor, a mais perfumada? Por que não um mar sem fim onde a vida navega? Místicos houve que disseram que Deus é uma criança que nos convida a brincar… Mas pode ser também que Deus seja música, como pensaram os místicos pitagóricos.

Ter uma religião é falar as palavras sagradas daquela religião e acreditar nelas. As religiões se distinguem e se separam: pelas diferenças das palavras que usam para se referir ao sagrado. Se elas nada falassem, se houvesse apenas o silêncio diante do Grande Mistério, a Babel das religiões não existiria. Diante do Grande Mistério apenas uma palavra é permitida, a palavra poética, porque a poesia não o diz mas apenas aponta para ele. O Grande Mistério está além das palavras.

Se tenho uma religião ela se chama poesia. Por isso, amo a Cecília Meireles, sacerdotisa profana, que quando queria se referir a Deus falava sobre um mar sem fim, misterioso e selvagem. Quem em silêncio contempla o mar sem fim ouve vozes em meio ao barulho das ondas. Também Fernando Pessoa sabia disso. Mas, prestando bem atenção, é possível ver, a voar sobre o mar sem fim, um pequeno pássaro que canta: “Leve é o pássaro: e a sua sombra voante, mais leve. E a cascata aérea de sua garganta: mais leve. E o que lembra, ouvindo-se deslizar seu canto, mais leve…”

Os poetas escrevem em transe: não sabem sobre o que estão escrevendo. Faz muitos anos, escrevi um livro para minha filha. Ela tinha 4 anos. Eu iria fazer uma demorada viagem pelo exterior e ela ficou com medo de que eu morresse e não voltasse. Apareceu-me, então, uma estória, A menina e o pássaro encantado. Resumida, era assim: era uma vez uma menina que amava um pássaro encantado que sempre a visitava e lhe contava estórias, o pássaro a fazia imensamente feliz. Mas sempre chegava um momento quando o pássaro dizia: “Tenho de ir”. A menina chorava porque amava o pássaro e não queria que ele partisse. “Menina”, disse-lhe o pássaro, “aprenda o que vou lhe ensinar: eu só sou encantado por causa da ausência. É na ausência que a saudade vive. E a saudade é um perfume que torna encantados a todos os que o sentem. Quem tem saudades está amando. Tenho de partir para que a saudade exista e para que eu continue a amá-la, e você continue a me amar…” E partia. A menina, sofrendo a dor da saudade, maquinou um plano: quando o pássaro voltou e lhe contou estórias e foi dormir, ela o prendeu numa gaiola de prata dizendo: “Agora ele será meu para sempre”. Mas não foi isso que aconteceu. O pássaro, sem poder voar, perdeu as cores, perdeu o brilho, perdeu a alegria, não mais tinha estórias para contar. E o amor acabou. Levou tempo para que a menina percebesse que ela não amava aquele pássaro engaiolado. O pássaro que ela amava era o pássaro que voava livre e voltava quando queria. E ela soltou o pássaro que voou para longe. A estória termina na ausência do pássaro e a menina se enfeitando para a sua volta.

Minha intenção, ao escrever esta estória, era simples: consolar a minha filha. Mas quando foi publicada ganhou um sentido que não estava nas minhas intenções: começou a ser usada em terapia, com casais possuídos pela ilusão de que, engaiolado, o amor seria posse eterna… Desde então passei a presentear noivos com uma gaiola da qual eu arrancava a porta. Mas, passado algum tempo, uma pessoa me disse: “Que linda estória você escreveu sobre Deus!” “Sobre Deus?”, eu perguntei sem entender. “Sim”, ela me respondeu. “O Pássaro Encantado não é Deus? E as gaiolas não são as religiões nas quais os homens tentam aprisioná-lo?” Aprendi, então, da minha própria estória, algo que não sabia: Deus como um Pássaro Encantado que me conta estórias. Amo o Pássaro. Odeio as gaiolas. O Pássaro Encantado: não pousa em galhos para cantar. Não é possível fotografá-lo. Canta enquanto voa. Dele, o que temos é apenas a sua leve sombra voante e a cascata aérea de sua garganta… Quando ouço o seu canto, ele já passou. Só é possível vê-lo em seu vôo, por trás. Vai-se o Pássaro. Fica a memória do seu canto.

Um pássaro voando é um pássaro livre. Não serve para nada. Impossível manipulá-lo, usá-lo, controlá-lo. Pássaro inútil. E esse é, precisamente, o seu segredo: a sua inutilidade: ele está além das maquinações dos homens. Sua única dádiva é o seu canto. Só faz um milagre, um único milagre: quando, chorando, lhe peço “Passa de mim esse cálice”, ele canta e o seu canto transforma a minha tristeza em beleza. Por isso eu nada lhe peço. Sei que ele não atende a pedidos. O seu canto me basta: ao ouvi-lo transformo-me em pássaro. E vôo com ele…

Mas aí vêm os homens com as suas arapucas e gaiolas chamadas religiões. E cada uma delas diz haver conseguido prender o Pássaro Encantado em gaiolas de palavras, de pedra, de ritos e magia. E cada uma delas afirma que o seu pássaro engaiolado é o único Pássaro Encantado verdadeiro…

Por que prenderam o Pássaro? Porque o seu canto não lhes bastava. Não lhes bastava a beleza. Na verdade, não o amavam. O que os homens desejam não é a beleza de Deus. O que eles desejam é manipular o seu poder. O que eles querem é o milagre. O canto do pássaro poderia lhes dar asas para voar. Mas não é isso que querem. O que desejam é o poder do pássaro para continuar a rastejar: Deus, transformado em ferramenta. Ferramenta é um objeto que se usa para se atingir um fim desejado. Assim são os martelos, as tesouras, as panelas… O que as religiões desejam é transformar Deus em uma ferramenta a mais. A mais poderosa de todas. A ferramenta que realiza os desejos. Como o gênio da garrafa. Pois não é isso que é o milagre, a realização de um desejo por meio da manipulação do sagrado? Só é canonizada santa uma pessoa que realizou milagres: o milagre é o atestado do seu poder para manipular o divino.

E é assim que as religiões se multiplicam, porque os desejos dos homens não têm fim, e os seus santuários se enchem de santos de todos os tipos, os santos milagreiros são nossos despachantes espirituais, todos eles a serviço dos nossos desejos, atenderão nossos desejos a preço módico, se rezarmos a reza certa e prometermos publicar o milagre em jornal, e pela televisão se anunciam fórmulas, sessões de descarrego, águas bentas milagrosas, exorcismo de demônios, os DJs de cada religião têm uma música na fala que lhes é própria…

Assim, a poesia do canto do Pássaro Encantado se transforma em manipulação do pássaro engaiolado. E não percebem que aquele pássaro que têm dentro de suas gaiolas não é o Pássaro Encantado, que não se deixa engaiolar, porque é como o vento, e voa como quer, e tem uma única dádiva a oferecer aos homens: a beleza do seu canto. À transformação da poesia em manipulação milagreira ? os profetas deram o nome de idolatria.


Paulo Guerra

10º Seminário de Dança – Cia Mudança

Olá pessoal do blog.

Está chegando a decima edição do Seminário de dança - A dança no Louvor e Adoração.

PREPARE-SE; EM BREVE MAIS INFORMAÇÕES!!!

Você não pode ficar fora dessa.

Sejam abençoados na prática da palavra.

Paulo Guerra

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031